quarta-feira, 7 de novembro de 2012

madrugada solidão

   Entre nós dois sempre fica essa pausa descabida, o silêncio furtivo de sinônimo dissimulado... se ao menos eu pudesse te dizer o quanto minto sobre a vontade de trucidar, se ao menos eu pudesse dizer que tua voz é motivo suficiente para que as palavras voltem quase um mês depois, mas que talvez eu nunca mais consiga te enxergar como em setembro do ano passado.